Área de Concentração

ratar de inovação em Comunicação significa remeter-se a processos de criação do novo tanto quanto de renovação daquilo que se torna desgastado pelo efeito do tempo e já não mais adaptado à nova realidade. A revolução digital ocorrida nas últimas décadas, as constantes inovações tecnológicas às quais a cultura está sujeita e através das quais ela se recria, em um processo dinâmico aparentemente infindável, força a transformação das estruturas de pensamento que fundamentam os modelos de organização social, cultural, econômicos e toda a criatividade subsequente. Sendo assim, e levando em conta o contexto comunicacional, é preciso criar condições para a emergência do novo e do renovado. Isto é o que entendemos aqui por inovação comunicacional, diretamente ligado ao progresso tecnológico, mas não restrito a este. Trata-se de estruturas do pensamento e da sensibilidade, de modos de concepção e percepção, de modos de auto-reflexão e auto-avaliação que precisam ser despertados e podem impulsionar a realidade da própria Comunicação enquanto fenômeno, enquanto sistemas e processos e também enquanto área de atuação professional.

A relação dinâmica que ora se estabelece, conceitualmente e na prática, entre produção cultural e economia é portadora de novas perspectivas para os futuros profissionais da comunicação, envolvidos de maneira central na rede de agentes de uma lógica econômica que necessita se manter a serviço da humanidade e, consequentemente, da cultura. Sendo assim, a presente área de concentração visa a trazer o suporte teórico, conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

Linhas de pesquisa

Esta linha de pesquisa visa a investigar estratégias de empreendedorismo, governança e gestão da comunicação no campo da economia criativa propondo, desse modo, uma formação profissional a partir da gestão comunicacional de iniciativas da economia criativa (projetos culturais, design, gestão de negócios e produção nos setores das indústrias criativas ligados à comunicação em suas interfaces com as tecnologias, a educação e a cultura). Atividades como a publicidade e propaganda, o jornalismo e a gestão da comunicação integrada são estudadas no contexto dessas iniciativas. Considerando as interfaces da economia criativa com os demais setores da economia são pensadas estratégias de empreendedorismo, governança e gestão nos setores público, privado e no terceiro setor. Startups, economia virtual, captação de recursos, isenção fiscal, fundos, parcerias público-privadas, monetização e outras possibilidades são trabalhadas como processos contemporâneos de economia criativa.

Esta linha de pesquisa visa a desenvolver projetos e metodologias de inovação tecnológica e criativa para a Comunicação e suas interações com o design, a arte, a educação e a cultura, atuando assim na formação de profissionais capacitados para a produção contemporânea de imagens e suas diversas aplicações em áreas e modelos midiáticos distintos. São pensados processos de produção criativa em audiovisual não apenas para mídias tradicionais como fotografia, cinema, TV e rádio, mas também práticas intermediais contemporâneas. Assim, os produtos variam desde a criação de videocasts, podcasts, webdocumentários, videoarte, ações em social media e games, até chegar a especificidades da produção como direção de fotografia, montagem, pós-produção, imagens geradas por computador, direção de arte. Estas produções podem ser aplicadas tanto a áreas específicas do meio cultural quanto a de outros setores (vídeos institucionais, campanhas publicitárias, ações transmídia, videoaulas), deixando o egresso pronto para atuar na imensa diversidade de afunilamentos destas competências.